Pela Europa por nove anos como jogador de Futsal

- Atualizado em 25 de maio de 2015 - , , , , ,

Atualizado em 22/01/2016

GOPR0331

Na sessão Morando Fora desta semana, o Escolho Viajar entrevistou o Christian Luft, gaúcho que escolheu morar um tempo na Europa trabalhando como jogador de fustal. O Christian tem trinta anos e mora na Europa há quase 10 anos. Ele já viveu em diversas cidades da Itália e também em Londres, já jogou em times como Augusta, Martina, Acqua & Sapore e Baku United. Aproveitamos sua passagem pelo Brasil para ele nos contar tudo sobre essa experiência no post que você confere abaixo.

Escolho Viajar – Christian, como foi que surgiu essa oportunidade de ir morar na Europa como jogador de futsal?

Chrtistian – Antes de partir, além de jogar futsal eu era estudante do curso de Direito na minha cidade natal, Passo Fundo (RS). Aos 20 anos, tive a oportunidade de ir para o velho continente através de um grande amigo que jogava por lá e que me apresentou para os representantes de uma equipe italiana que tinha vindo ao Brasil buscando jovens jogadores. Depois de 9 anos na Europa, hoje estou de volta à minha cidade natal, temporariamente, para me recuperar de uma cirurgia no joelho.

IMG_1778 (1)

Escolho Viajar – Em quais cidades da Europa você morou?

Christian – Morei inicialmente em Augusta na província de Siracusa localizada na ilha da Sicilia no sul da Italia durante três temporadas. Depois, fui negociado para uma equipe localizada na região de Abruzzo, em uma cidade chamada Pescara onde permaneci por uma temporada. Em seguida, fui transferido para a região da Puglia, no “salto” da bota, inicialmente em Putignano por duas temporadas e logo após, pertinho dali, em Martina Franca, onde vivi por três temporadas. E agora, por último, estava numa equipe de futsal situada em Londres.

Escolho Viajar – Como foi que você se manteve financeiramente durante todo esse período na Europa?

Christian – Sempre me mantive com o salário do futsal, que não se compara com o do futebol de campo. Além do salário, todas as equipes se responsabilizam pelo aluguel e algumas despesas básicas dos jogadores. Foi possível fazer umas economias e inclusive passear também.

IMG_1799 (1)

Escolho Viajar – Quais foram suas principais dificuldades e ganhos durante essa experiência?

Christian – A principal dificuldade, pois nem tudo é perfeito, certamente é a saudade de casa e das pessoas que nos fazem bem. Além disso a dificuldade com o idioma e costumes locais logo tornam-se um desafio.

Como jogador, as dificuldades foram a ambientação no grupo, mesmo trabalhando com outros brasileiros, a concorrência, pois todos querem conquistar seu espaço e a alimentação. Lembro que engordei 8kg no meu primeiro ano fora, mesmo treinando duas vezes ao dia, pois acabava comendo muito (principalmente Nutella, hehe), tentando amenizar a falta de casa.

Acredito que as dificuldades são muito pequenas se comparadas com todas as recompensas de se viver por lá, saindo da nossa realidade aqui do Brasil, daquela vidinha com a qual estamos acostumados. A experiência nos transforma como pessoa, abre os nossos horizontes, molda a nossa personalidade de uma maneira incrível que somente quem tem esta experiência de sair do seu casulo e enfrentar esta mudança pode compreender.

Além disso, conhecer pessoas e suas realidades cotidianas e culturais, criar novos vínculos, conhecer costumes, provar novos sabores, visitar lugares incríveis, lugares históricos, aprender novos idiomas e milhões de outras coisas, são coisas impagáveis.

Escolho Viajar – Como nem tudo é trabalho, você deve ter tido a oportunidade de conhecer muitos lugares incríveis durante todo esse tempo fora do Brasil. De quais você mais gostou?

Christian – Sempre que estive por lá sempre procurei conhecer as cidades próximas de onde morava e também conhecer outras mais importantes, quando o trabalho permitia, e cada uma delas foi especial a sua maneira.

Fica difícil encontrar uma única que tenha me chamado mais a atenção, porém, lembro me de uma cidade incrível na Sicilia chamada Taormina, da sensação de desembarcar do trem e ao sair da estação me deparar com o Grande Canal em Veneza, o ar histórico do Coliseu em Roma, a beleza de Polignano, a Mare na Puglia, a imensidão da ilha de Manhattan, o fascínio das Pirâmides em Cairo, a descontração de Amsterdam, o charme de Paris, a riqueza cultural de Berlin, a imensidão de Londres…

amsterdam-2Os famosos canais da cidade de Amsterdam

Escolho Viajar – E em se tratando de lugares/programas menos ortodoxos que teve oportunidade de conhecer nesse tempo fora do Brasil, quais são os que mais chamaram sua atenção?

Christian – Nesse caso a minha lista seria:

– Red District – Amsterdam, lugar de atmosfera única no mundo.
– Cadmen Town e Shoreditch – Londres, bairros onde estranho é ser normal.
– Teatro Greco – Taormina, Italia (vista incrivel)
– Praias – Polignano a Mare, Puglia
– Passeio em Alberobello e os seus “trulli”, cidade patrimônio histórico da Unesco, Puglia.
– Visita as cavernas e grutas de Castellana Grotte, Puglia
– Mergulho nos corais – Sharm el Sheikh, Egito

IMG_6815 Distrito londrino caracterizado por mercados e locais de música associados à cultura alternativa

 

DSC03984Sharm el Sheikh, famoso balneário egípcio  banhado pelo Mar Vermelho localizado na península do Sinai

DSC03984Poligano A Mare, Puglia, Itália

 

2012-08-19-14.56.08Poligano A Mare, Puglia, Itália

Escolho Viajar – A comida italiana é famosa no mundo inteiro. Quais seriam suas dicas de lugares que para degustar um pouco da culinária Italiana nas cidades que você morou?

Christian – Quanto a comida, sou suspeito no assunto, e principalmente a Italia é o país das maravilhas neste departamento. Começando pela pizza e focaccia, queijos, salames e frios em geral, massas, risotos… hummmmm. Eu recomendo e assino embaixo:

Tony Pub Focacceria / Casa della Focaccia – Martina Franca, Puglia

Pizzaria Jonny – Martina Franca Puglia, menu da casa composto por deliciosas entradas (melanzana a parmiggiana, polpette al sugo), frios em geral e pizza

Quanto aos doces, o famoso sorvete italiano, em especial o do Il Chiccodoro Family em Montesilvano, proximo a Pescara em Abruzzo

Os mais variados doces chamados Pasticcerie no Florein Caffè, em Martina Franca, Puglia

ANT_9748 Florein Caffè, Martina Franca (fotos de divulgação)

Escolho Viajar – Que conselho você daria para quem quer ter uma experiência como a sua?

Christian – O conselho que posso dar pra quem tem vontade de viver uma experiência parecida com a minha é bem simples: correr atrás do que você tem vontade, ter coragem, e não desistir perante à dificuldade, pois a recompensa é muito valiosa.

 

* O Christian hoje está de volta à Europa, jogando no Touolon TEF da França.

 

Siga o Escolho Viajar no facebook e instagram e seja o primeiro a saber sobre novos posts sobre experiências de vida fora do Brasil.