O que fazer em Lisboa – 9 dicas de blogueiros portugueses

- Atualizado em 9 de agosto de 2016 - , , , , , , ,

Blogueiros portugueses contam quais são os seus lugares favoritos em Lisboa

 

É fácil de descobrir onde todo turista gosta de ir em Lisboa ou qualquer outra grande cidade. Mas será que quem nasceu ou ainda vive em Lisboa se encanta com os mesmos lugares que nós turistas?

Perguntamos a oito blogueiros portugueses sobre os seus locais favoritos para contemplar, comer, relaxar e se divertir em na capital portuguesa.

Com vocês, eles, aqueles que realmente entendem do riscado lá por aquelas bandas.


1) Um restaurante requintado

A Cevicheria

A Cevicheria está na moda. Uma moda que veio para ficar. Sabores arrojados, deliciosos, viciantes. Por vezes pode ser difícil arranjar mesa à primeira, neste restaurante pequenino, mas nada que uns minutos a beber o típico Pisco Sour não resolva.


cevicheria

Créditos da foto à Francisco Rivotti. Reprodução autorizada por A Cevicheria.


Comece pelo Gaspacho de Vieiras e pelo Ceviche Puro; não deixe de provar o obrigatório Quinoto do Mar; mate a fome de carne com a Sandes Surf & Turf e guarde espaço para a sobremesa, seja ela mais à base de frutas ou com sabores mais nutty e achocolatados, todas são uma delícia. Saia satisfeito e não se esqueça de dizer adeus ao polvo da Cevicheria, o Cevi.

Texto “A Cevicheria”. Por Joana Limão, autora do blog Lemonaid. 


2) Um lugar para encontrar com os amigos

Palácio do Chiado

No coração da cidade, o Palácio Chiado é dos lugares mais trendy de Lisboa. O ambiente é descontraído mas os vitrais, candeeiros ou as pinturas nas paredes dão-lhe um toque de glamour. É perfeito para tomar um copo com amigos, petiscar ou experimentar uma refeição mais completa. O Delisbon ou a Espumanteria do Mar são os meus espaços gastronômicos de eleição.


DocumentaroMundo-PalácioChiado

Texto e foto “Palácio do Chiado”. Por Eva Marcela, autora do blog Documentar o Mundo.


3) Um parque especial

 Jardim do Campo Grande

Lisboa tem vários espaços verdes dignos de visita – como o Parque Eduardo VII ou a zona de Monsanto – mas o Jardim do Campo Grande guarda um lugar especial no meu coração. Bem no centro, este é um lugar histórico na cidade (data de 1801). Aqui é possível encontrar um parque bem cuidado, algumas cafeterias e até um bonito lago onde pode andar de barco. Com quase 3 km de perímetro, é o local perfeito para andar de bicicleta, fazer um jogging ou um piquenique na relva ou na zona de merendas. O parque está sempre aberto, 24H/365 dias ao ano, e a entrada é gratuita.


Texto e fotos “Jardim do Campo Grande”. Por Marlene Marques, autora do blog Surfer Girl on The Move.


4) Um novo museu

Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT)

Assumo-me como um ratinho de biblioteca. Adoro livros e… adoro museus. E Lisboa, apesar de não ser uma capital com forte tradição de Museus como é Paris, Londres ou Berlim, tem alguns museus que merecem uma visita prolongada. Exemplo disso são o Museu dos Coches, o Museu Nacional de Arte Antiga, o MUDE e o Museu Berardo.

Este verão abriu em Lisboa um novo museu: o MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia. Assumindo-se como um museu de arte contemporânea, as exposições temporárias já foram inauguradas no passado dia 30 de junho e, a partir de outubro, o museu contará também com uma exposição permanente. O diretor do museu – Pedro Gadanho – foi curador do MoMA e promete trazer à cidade de Lisboa uma leva fresca de inovação e criatividade!

Para além do museu, os visitantes poderão também descontrair na esplanada frente ao rio, com vista para a Ponte 25 de Abril. A visitar…


Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia. Texto por Diana Guerra, autora do blog Contra Mapa.


5)  Um Jardim favorito

Jardim Estrela, Lapa (centro de Lisboa)

Invés de um parque (e poderia referir alguns), escolhi falar sobre um jardim, o meu favorito em Lisboa! Como não falar nele se foi minha companhia durante, pelo menos, um ano, em que fazia rua acima, rua abaixo pelos mais diversos motivos (éramos vizinhos).

O Jardim da Estrela agrega, em Lisboa, uma vasta e bonita florestação. Foi construído no século XIX ao jeito dos jardins ingleses e tem, todo ele, uma aura absolutamente romântica, aconchegante e perfeita para os dias em família, para passeios a dois ou, como é também comumente utilizado hoje em dia, para a prática de exercício físico no centro da cidade (corridas e alguns treinos em TRX – Total body Resistance Exercise).

Os patos dos lagos do jardim regalam-se com os piqueniques que as famílias organizam aos fins de semana e as áreas verdes são, no verão, ocupadas por festivais de música como é o caso, por exemplo, do OutJazz.

O jardim possui dois quiosques com refrescos e internet para quem queira trabalhar ou simplesmente relaxar ao ar livre e é, quanto a mim, o lugar perfeito para uma tarde de verão na cidade. É um must-go de Lisboa mesmo! Até porque, logo ali ao lado, fica localizada a Basílica da Estrela, edifício católico que é marco da cidade, e dali partem os elétricos para uma viagem pelos bairros trendy da capital!


IMG_3049

Jardim Estrela. Texto e foto por Ines Alves, autora do blog Lisbon Cover.


6) Uma bela vista da cidade

Terraço do Bairro Alto Hotel

O terraço do Bairro Alto Hotel se encontra situado no coração da cidade lisboeta, mais concretamente no famoso Bairro Alto. Esta esplanada, que é considerada a 4ª melhor vista de terraço do mundo, encontra-se no último piso deste luxuoso hotel e oferece um vista absolutamente privilegiada de uma das zonas mais bonitas de Lisboa.

É um ambiente perfeito para se desfrutar tranquilamente de um final de dia.


hotel-bairro=alto

Vista do alto do terraço do Bairro Alto Hotel. Reprodução autorizada por Bairro Alto Hotel.


Texto “Bairro Alto Hotel”. Por Francisca Guimarães, autora do blog Miss Kale.


7)  Um lugar para visitar nos arredores de Lisboa

Do outro lado do rio: Cais do Ginjal

À distância de uma viagem de alguns minutos de barco fica um passeio ao longo do Tejo. São um par de quilómetros, sempre com uma vista magnífica para Lisboa, ao longo de uma antiga linha de indústrias que há muito deixaram de laborar. Os mais ousados podem atravessar uma fábrica abandonada e acabar na base do Cristo Rei, descobrindo uma pequena praia desconhecida, mesmo sob a grande ponte que atravessa o rio. O local chama-se Cais do Ginjal, a pode-se ali chegar num agradável passeio com o barco que sai do Cais do Sodré com destino a Cacilhas. Depois é só virar à direita e seguir sempre encostado ao rio.


ginjal-02

ginjal-03

Do outro lado do rio: Cais do Ginjal. Texto e fotos por Ricardo Ribeiro, autor do blog Cruza Mundos.


8- Praia próxima à região metropolitana de Lisboa

Praia Grande

A Praia Grande não é apenas grandiosa na sua extensão de areia, no porte do seu morro ou nas pegadas de dinossauro que pode encontrar em cima dele. É grande na sua beleza, no tamanho das ondas, no talento dos seus surfistas e até na estética daquelas meninas de pele macia e cabelo escorrido que se passeiam por ela. É uma praia selvagem. A três quartos de hora de Lisboa e a quinze minutos do centro de Sintra.


Praia grande. Texto e fotos por José Cabral, autor do blog O Alfaitate Lisboeta.


9-  Um monumento a não deixar de visitar

Castelo de São Jorge

O Castelo de São Jorge fica situado numa das sete colinas da cidade e oferece maravilhosas vistas panorâmicas do bairro de Alfama, do Rio Tejo e da Baixa pombalina.

Sem dúvida o monumento mais imponente de Lisboa, foi aqui que se passaram importantes acontecimentos da história da cidade e sua fulcral conquista aos mouros.

O castelo foi construído no século V pelos visigodos e ocupado pelos mouros no século IX. Em 1147, D. Afonso Henriques então rei de Portugal, fez deste lugar sua residência e principal estrutura defensiva de Lisboa.

Além do castelo e dos seus maravilhosos miradores pode-se subir às suas torres defensivas. O bilhete de entrada custa €8.5. Os residentes do Conselho de Lisboa não pagam.


Castelo de São Jorge. Texto e fotos por João Leitão, autor do blog João Leitão Viagens.


newsletter-escolhoviajar

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar