Lago Escondido e Fagnano – passeio aventura para quem visita Ushuaia

- Atualizado em 26 de novembro de 2015 - , , ,

lago escondido-argentina-aventuraConheci o Lago Escondido e Lago Fagnano em um dos cinco dias que fiquei em Ushuaia, como parte do meu roteiro aventureiro solo pela Patagônia em 2014.

O passeio durou seis horas e me custou na época em torno de 900 pesos, com almoço incluso. Como eu havia montado todo o meu roteiro, adquiri o passeio pessoalmente enquanto já estava em Ushuaia na agência Tierra Turismo. Era uma empresa que não conhecia, mas, por sorte deu tudo certo.

Fiz questão de fazer um post sobre a atividade pois achei o programa muito interessante, especialmente por causa da paisagem, bastante bonita e por causa da atividade em si, que me pareceu um churrasco entre amigos.

 

Quando cheguei ao “Fin del Mundo” viajava solitariamente.
Queria paz. Queria encher os meus olhos e sentir a pele arrepiar por algo novo,
fosse o frio intenso ou a descarga de adrenalina das aventuras em que me jogava todos os dias na bela Patagônia.
Quando cheguei aos lagos Fagnano e Escondido o vento uivava forte e transformava a calmaria em ondas que marejavam a paisagem.
Assim como eu, o lago não era todo mar, mas, por ora sentia-se como o mar,
balançando forte a árvore que ali insistia em descansar.

A Land Rover da empresa nos buscou por volta das 09 da manhã e partimos rumo ao norte da ilha pela Rota Nacional Número 3, passando por montanhas e cerros. A estrada aqui, por enquanto, é asfaltada.

Nossa primeira parada foi no Passo Garibaldi,  mirante que possibilita uma visão conjunta dos dois lagos.

Ao cruzarmos a Cordilheira dos Andes começa a parte mais aventureira do passeio. A terra é de lama e é possível ver imensos diques construídos pelos castores, aqueles bichinhos dentuços que derrubam árvores para construir represas de água, onde nelas habitam.

Primeiramente, tivemos uma visão panorâmica do Fagnano, um espelho d´água de 98 Km de extensão, dos quais uma porção pertence à Argentina e outra ao Chile.

 

Lago Fagnano1

Depois passamos pela orla do Fagnano. Venta muito.

Orla_Fagnano

Por último, fizemos uma pequena caminhada por um bosque com muita barba de bode, também conhecida como barba de velho ou barba de pau, plantinha que comprova o quão puro era o ar da região.

Para quem não sabe, a barba de bode é encontrada em áreas de elevada umidade atmosférica e não suportam intensa poluição. Pelo fato de absorver os nutrientes do ar, também acumula poluentes e por este motivo a planta é considerada bioindicadora de qualidade do ar.

E logo chegávamos ao Lago Escondido.

lago-escondido-patagonia

lago-escondido-argentina

lago escondido patagonia

Depois de algumas fotos, caminhamos até um refúgio no meio do bosque, onde tivemos almoço preparado pelos guias. Comemos petiscos, um bom assado e bebemos um vinhozinho. Assim que finalizamos o almoço, iniciamos a volta para nossas hospedagens, onde chegamos por volta das 17 horas.


Alto: A natureza bonita, o guia muito gentil, um pouco de aventura na 4×4 sem ser muito cansativo, o almoço no refúgio que apesar de simples, foi regado a vinho e soou como confraternização de amigos no refúgio.
Baixo: Com o super vento que tinha no dia, não deu para passearmos de caiaque no lago (incluso no pacote), que muito me interessava. Mas, na natureza quem manda é ela!