Cajon de Maipo – Um programa diferente para quem visita Santiago

- Atualizado em 21 de junho de 2015 - , , , ,

cajon-santiago

Se você está indo para Santiago do Chile  e quer incluir no roteiro um passeio ainda não tão batido, com paisagens lindas e um pouco de aventura, seja bem-vindo ao Cajon del Maipo!

Este post contempla:

Tudo o que você precisa saber para conhecer o Cajon del Maipo


O que é o Cajon del Maipo?

O Cajón del Maipo localiza-se na área metropolitana a 100 km de Santiago, aos pés da Cordilheira dos Andes. A região, batizada com o mesmo nome do Rio Maipo é composta por vales, rios e montanhas. Os principais pontos de interesse do local são as piscinas naturais de águas termais (Baños Colina e Baños Morales), o Monumento Natural El Morado, Parque Río Olivares, Embalse El Yeso e as Termas del Plomo.


embalse-el-yeso


A região oferece inúmeras possibilidades para se realizar atividades ao ar livre, como trekking, escalada, montanhismo, cavalgada, mountain bike, canopy, bungee jump, rafting e pesca com mosca.

Organização

Primeiramente, busquei informações na internet e cheguei à conclusão que este era um local ainda pouco explorado, pelo menos pelos brasileiros.

Mas algumas informações da web me levaram a contratar o passeio através da agência Snow Tour, localizada no centro da cidade de Santiago, aos pés do Cerro Santa Lucia. O roteiro originalmente abrangia o Embalse de Yeso ou o Baños Colina.

No entanto, propus à agência para que os dois passeios fossem realizados no mesmo dia, e a minha sugestão para quem vai ao Cajon é justamente fazer essa mesma combinação, especialmente se você não tem muito tempo para passear pela região e quer regressar para passar a noite na cidade de Santiago.


embase-el-yeso


Duração do passeio e condições da estrada

Iniciamos o passeio às 07:30, e voltamos ao hotel por volta das 19:30. Dessa forma, visitar os dois locais resulta em um passeio longo. Em sua maior parte, o percurso acontece em estradas não pavimentadas, com inúmeras pedras e curvas sem acostamento. Esteja preparado para muitos sacolejos e talvez algum pneu furado (no nosso caso foram dois [conforme será visto, o guia foi muito prático e os pneus furados não interferiram em nada no passeio!]).

A empresa nos enviou o guia chamado Pablo, que nos conduziu do jeito que eu gosto: bastante gentil, simpático, solícito e interativo na medida certa (eu particularmente não gosto de guias que falam demais e o tempo todo durante algum passeio).

Fomos com uma 4WD, veículo adequado para fazer o percurso. Estávamos em seis adultos mais o guia. A tração nas quatro rodas ajuda muito no passeio, mas, por ser um passeio longo, não deseje sentar nos últimos bancos, pois suas pernas ficarão encolhidas por um bom tempo. Eu não tenho problemas com isso, mas meu irmão, que é bem mais alto que eu, ficou um pouco mais desconfortável. Nada que um rodízio entre os passageiros não resolva!


Embalse el Yeso

Primeiramente chegamos ao Embalse el Yeso, que é um reservatório conhecido por ser o principal responsável pelo abastecimento de água potável na cidade de Santiago. A água é bastante verde e acaba por contrastar com o terreno seco que o circunda. A composição da paisagem é realmente bastante linda.

Aqui você está no meio das cordilheiras, portanto, nada de banheiro ou banquinha para comprar água ou comida. A parada aqui é para apreciar a natureza.

Permanecemos no Embalse por mais ou menos uma hora. Havíamos sido orientados a levar água e lanches. Assim, nos sentamos por ali mesmo e devoramos nossos sanduíches de almoço.

Por perto, algumas outras famílias faziam o mesmo. Era mês de Janeiro, portanto, o sol estava forte, e utilizamos a sombra do carro para nos proteger. Após nosso lanche, voltamos ao carro e rumamos para a segunda parte da aventura.


 


Baños Colina


cajon-aguas-termais-santiago


Seguimos nas cordilheiras e rumamos para os Baños Colina, a 3.500 m de altitude. O atrativo do local é justamente as piscinas naturais de águas termais que existem ali. A paisagem parece meio surreal: você fica ali curtindo sua piscina com água quentinha (20 a 70 oC) ao ar livre, “mirando” as cordilheiras ao fundo.

“Mergulhei meus pés em uma temperatura de 40 graus.As cordilheiras me miravam e eu contemplava a beleza de estar longe, muito longe. Santiago do Chile é limpa, organizada, viva e educada. Mas foi no meio das montanhas que a rodeiam – bem distante do nível do mar e da cidade – que eu mergulhei na paz.”

A estrutura do local é mínima. Não espere por nada além de um local onde você pode deixar sua mochila e tomar um banho antes de voltar para casa.

Algumas pessoas usavam a lama que ficava no fundo nas piscinas para passar na pele, fazendo uma espécie de máscara.


Prepare-se para Santiago: leia também:

Um restaurante super legal para se visitar em Santiago 

Um bar muito diferente em Santiago



Vale a pena ir até o Cajon del Maipo?

O melhor aspecto do passeio pelo Cajon foi que ao adentrar no povoado de São Jose do Maipo a paisagem que começou a correr aos nossos olhos era simplesmente linda o tempo todo!” (sim, o tempo!). É o típico percurso onde a jornada é tão fascinante quanto os destinos finais.


cajon-santiago


Além das inúmeras facetas das cordilheiras, visíveis por todos os lados, dignas de muitas fotos, ao longo do caminho outros pontos interessantes merecem destaque: reserva militar desativada cheia de cabras (antigamente, na época da ditadura militar chinela, havia uma linha férrea que ligava a cidade de Santiago à reserva); uma enorme cachoeira, onde paramos para algumas fotos; uma visão privilegiada do vulcão São José; e um pouco da atividade da mina de gesso que opera na região – ao cruzarmos uma das estradas, fomos parados e informados por um dos trabalhadores de plantão: “ah, agora vocês podem passar, mas não demorem, pois em 10 minutos teremos uma explosão”.

Para quem serve este passeio

Este não é um passeio que satisfaz a todos, mas ele se encaixa perfeitamente no roteiro de quem busca algo “mais natureza” durante sua viagem por Santiago, com uma pitada de aventura e uma certo silêncio.

Quem faz questão de almoçar em um restaurante, se estressa com a falta de estrutura dos locais, não gosta de sacolejar na estrada, ou acha tedioso ficar muito tempo dentro de um carro, não deve fazer este passeio. Nós estávamos preocupados com nossa mãe, que na época tratava um câncer. Nossa preocupação era com relação ao sol, a duração do passeio e a possibilidade de mal-estar por conta da altitude. Por sorte, correu tudo bem e ninguém se sentiu mal por causa da altitude. Por fim, o Cajon del Maipo foi um dos passeios que mais gostamos e aproveitamos durante nossa viagem por Santiago.

O que levar

Levamos comida, muita água e protetor solar. Isso tudo foi fundamental, já que uma vez no pé da cordilheira, não existe mais supermercado e o sol é forte mesmo (praticamente não existe sombra). Leve roupa de banho para entrar nas águas termais e leve material de higiene pessoal para tomar um banho após.


Pesquise aqui os valores das diárias de hotéis em Santiago, sem pagar nenhum centavo a mais por isso! Se você reservar através deste link, você ajuda o blog a continuar a existir.


Imprevistos

Quanto ao pneu furado, nosso guia se encarregou de tudo, e nos mandou caminhar pelo Embalse, enquanto ele organizava as coisas. Passeamos, e, na volta, o Wellington, do Pará, deu uma ajudinha. Após o passeio, já na cidade, nos demos conta do problema com o nosso segundo pneu, que foi provisoriamente resolvido com um jato de ar até deixar todos de volta no hotel.


cajon-cordilheiras-andes


Quanto custa

O passeio custou 90 mil pesos chilenos por pessoa (Janeiro/2015). Considero que valeu a pena cada centavo e cada hora sentada no banco do carro.

Existem outras empresas que realizam tours pelas diversas atrações da região (veja o link para algumas abaixo), sendo que além do passeio guiado, é possível alugar um carro ou mesmo conciliar metrô e ônibus para a locomoção até o povoado de Maipo (não até o Embalse ou às termas).

Como ir

Na minha opinião, a melhor opção de transporte é a que se encaixa ao número de pessoas que vão fazer o passeio, quanto tempo você tem, quantos pontos deseja visitar e em que época do ano está viajando. Os ônibus levam à entrada da região do Maipo, mas não chegam nos locais mencionados.

É possível também hospedar-se na região do Maipo, já que existem inúmeras pousadas, o que possibilita conhecer e visitar outros pontos turísticos. Neste site aqui  é possível encontrar muitas informações úteis sobre o a região do Maipo.

Evite ir no inverno

Esse não é um passeio para que é mais facilmente feito no verão. É possível ir no inverno, mas em tal época do ano, muitas estradas podem estar pouco acessíveis e a chance de o passeio virar uma verdadeira dor de cabeça é muito grande, já que a estrada por lá não é moleza e com neve, então…!


Prepare-se para Santiago:

Centro de Santiago: o que conhecer, onde comer e beber

Quantas garrafas de vinho dá para trazer no avião de volta para o Brasil?

Onde se hospedar em Santiago – Dicas de 8 hotéis/hostels avaliados por blogueiros brasileiros

Dica de restaurante (comida e ambiente nota dez) para conhecer junto com o Museu dos Direitos Humanos

Um bar super legal para se visitar em Santiago


 

Dicas

Empresas que operam na região do Maipo oferecendo diferentes atividades turísticas

Chile Travel
Eco Trekking
Sousas Tour
Visit Chile
Explorin Chile
Chile Extremo
Ando Andes
SnowTours
Empire Vasquez Tour

 

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar